Voltei de viagem pensando que temos o hábito de romantizar as férias. Voltamos geralmente contando como tudo é lindo, como foi maravilhoso sair. Depois ficamos com as fotos e elas testemunham o melhor daqueles dias. Logo esquecemos a bolha no pé, o mau jeito no ombro ao carregar a mala atabalhoadamente, do hotel que não era tão bom.

Sim, descansar a mente ao ver novas paisagens é fundamental e o novo nos cutuca da estagnação.

Mas, tenho pensado muito na energia que nos acompanha a cada novo dia do cotidiano.

Será que daria para deixar-se cutucar pela vida e imprimir nova energia também no trabalho cotidiano?

Numa palestra, o rabino Nilton Bonder questionou: “A sua rotina tem uma relação de integridade com quem você é?” Segundo ele, essa relação faria com que cada um se arrastasse da cama como um escravo ou pulasse dela como um ser livre. Em Walden, Henry David Thoreau dá um empurrãozinho lindo nessa reflexão: “Temos de aprender a redespertar e nos manter despertos, não por meios mecânicos, mas por uma infinita expectativa da aurora, que não nos abandona nem mesmo em nosso sono mais profundo. Desconheço fato mais estimulante do que a inquestionável capacidade do homem de elevar sua vida por um esforço consciente.”

Sibélia Zanon | Agência de comunicação soma palavra e forma: a energia de cada dia

Curtiu? Compartilhe!

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Marked fields are required.