Escolha uma embalagem para encantar

Com um conceito em mente: uma história, uma experiência, uma narrativa escolhe-se a embalagem – a forma – para que a comunicação encante. Ao idealizar a forma, cada elemento selecionado tem um propósito, carrega um sentido, tornando a mensagem significativa.

As regras ajudam a organizar formas e conteúdos. O designer tem o poder de reinterpretá-las para comunicar visualmente o conceito, construindo um produto único e inusitado.

“Todo o design gráfico – toda a produção de imagens, independentemente do meio ou do objetivo – centra-se na manipulação da forma. A ‘forma’ é o substrato: contornos, linhas, texturas, palavras e imagens. Nosso cérebro utiliza a forma para identificar o que é visto; a forma é uma mensagem. Transformar essa forma em algo belo faz com que a tarefa de designer vá além de simplesmente unir elementos e apresentá-los a um público.”

Timothy Samara

Curiosidade

“Não pergunto a que ponto está chegando o mundo, ou qual será o caminho certo a seguir. Eu me pergunto: ‘E se eu fosse ele? E se eu fosse ela? O que sentiria, desejaria, temeria e esperaria? Do que teria vergonha, esperando que ninguém mais soubesse?’.

Meu trabalho consiste em me pôr no lugar de outras pessoas. Ou mesmo estar em suas peles. A força que me impele é a curiosidade. Eu fui uma criança curiosa. Quase toda criança é curiosa. Mas pouca gente continua a ser curiosa em sua idade adulta e em sua velhice.

Agora, todos sabemos que a curiosidade é condição necessária, até mesmo a primeira das condições, para todo trabalho intelectual ou científico. Mas quero acrescentar que em minha opinião a curiosidade é uma virtude moral. Uma pessoa interessada é uma pessoa um pouco melhor, um progenitor melhor, um parceiro, vizinho e colega melhor do que uma pessoa não curiosa. Um amante melhor também.”

Amós Oz

Quando pequena, eu via a curiosidade associada a algo proibido, talvez maldoso, pura bisbilhotice. Afinal, crianças eram tachadas de curiosas quando perguntavam algo que um adulto não tinha vontade de responder.

Depois fui vendo que a curiosidade tem nuances outras. E poderes outros também. A curiosidade pode ser um motor de solução, talvez um espaço propício ao encantamento. Pode ser antítese da estagnação e da apatia. Uma pessoa curiosa faz descobertas que os não-curiosos nem imaginaram questionar.

Isso porque o interesse é uma abertura de possibilidades para o entendimento de enigmas relacionados ao outro e ao mundo.

E qual a relação disso com a comunicação?

Comunicar pressupõe a existência de um interlocutor que habita seu mundo  peculiar. Comunicar partindo de um espaço de empatia e curiosidade é abrir um canal mais amplo, sensível, e, por isso, com maiores chances de tocar o outro.

Como anda a nossa curiosidade nas relações cotidianas? Temos exercitado o interesse genuíno para compreender o outro?

somar para ser +

“Pois eu digo que os primeiros químicos foram os cozinheiros! A cozinha é um laboratório onde o fogo separa as coisas que estão juntas e ajunta as coisas que estão separadas.”

Rubem Alves – Vamos construir uma casa? – Doze lições para a educação dos sentidos

 

É verdade que não estamos abrindo uma confeitaria.

soma – palavra e forma é o novo nome da agência Indaia Emília Comunicação e Design Gráfico, no mercado desde 2001.

Há uma união metafórica entre o fazer com os ingredientes e o fazer com as palavras.

Continue lendo