A história da minha casa – Livro

 

Um morador, bastante ocupado, apresenta a sua casa.
Quando criança, ele morava num caquizeiro.
Hoje, a sua casa é um abacateiro.
A história desta casa é também a história de todas as casas.

Árvores vestidas de festa, bichos e gentes ao redor dos frutos maduros de um caquizeiro… diversão garantida. Mas também muito trabalho para o nosso protagonista incansável, que quer ver o aqueduto levar água até uma grande banheira da floresta.

“A história da minha casa” convida a desbravar a natureza que habita nossos quintais, nosso imaginário e nossa vida cotidiano. Quem nos leva por esse passeio é um protagonista bastante misterioso, que deixa pistas pelas páginas, brincando de mostra e esconde. Mostrar e esconder: jogo necessário praticado na natureza. A vigília é fundamental, o predador está solto!

O texto e as belas ilustrações em aquarela se complementam para conduzir o leitor a desvendar o nosso querido protagonista e sua casa tão aconchegante.

Publicado pela editora Bamboozinho, o livro recebeu o selo Aqui tem natureza, indicando que a obra valoriza o pertencimento à natureza.

Página do livro: A história da minha casa

As autoras

Sibélia Zanon – texto

A minha história sempre se misturou à história das árvores que habitaram os quintais da minha vida. No meu quintal de hoje mora um abacateiro que abriga esquilos, entre muitos outros visitantes sensacionais, coloridos, alados. Perto da minha casa vejo, cada vez mais, muitas árvores sucumbirem aos pés da força cinza. Minha voz se une a todas as vozes que habitam aquele abacateiro e pergunta: o que é o progresso?

Paloma Portela – ilustrações

Tive como quintal o maravilhoso Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Cresci entre majestosas vitórias-régias e árvores centenárias, além do mar imenso. Depois me mudei para um novo quintal em São Paulo, também escondido nos entremeios da Mata Atlântica. Não sei ao certo de onde veio meu amor pelo desenho: se foram os passarinhos, que me trouxeram todas as cores da aquarela, ou o contemplar cuidadoso sobres as linhas das folhas… Com um pincel, resisto para que a pintura dessas matas não se desbote.

 

Indicação de faixa etária da editora:

Livro para leitores iniciantes: Leitores de 5 a 8 anos